Alemanha: volta pra casa antes da hora

LauraLaura

Costumamos pensar que morar fora é sempre uma experiência incrível, sobretudo porque as redes sociais só mostram o lado bom disso. No entanto, nem sempre é assim! Eu mesma já passei por maus momentos que me fizeram valorizar a vida no Brasil e, principalmente, as pessoas ao meu redor. No post de hoje, vou contar um pouco da minha experiencia em Hannover, Alemanha.

O que dizer sobre a Alemanha? É simplesmente um dos países mais desenvolvidos do mundo, com o sexto maior PIB e economia mais importante da Europa. Quem não se orgulharia de pertencer a um dos país mais ricos do mundo? Por ter esse pensamento, resolvi fazer um intercambio de curta duração, pelo Rotary. Em 2010, com apenas 18 anos, passei 40 dias na Alemanha estudando o idioma. A ideia era fazer um curso de 2 meses, mas voltei para casa antes da hora. Eu simplesmente não consegui me adaptar! Os alemães foram extremamente intolerantes, muitos não falavam inglês e nem se esforçaram para tentar, como se eu tivesse a obrigação de falar alemão!

Eu vi muita, mas muita xenofobia. No meu curso de alemão, eu era a ÚNICA ocidental, ou seja, as amizades que fiz foi com asiáticos, árabes, muçulmanos e africanos. Vi de perto gente “tomando ombrada” por estar falando uma língua latina e meninas de véu atraindo olhares tortos, por exemplo.

Há quem diga que estou escrevendo isso por ainda estar remoendo o 7×1, mas não é isso haha! Choques culturais podem nos fazer crescer e aprender a lidar com as diferenças, mas no meu caso não foi legal sentir na pele o preconceito dos locais em relação a uma estrangeira.

Como pude rodar a Alemanha, percebi que, em cidades grandes como Berlim, a mentalidade das pessoas é um tanto quanto diferente daquela das que vivem em cidades pequenas.

Na verdade, eu morei numa vila chamada Lemmie, situada a 40 minutos de trem do centro de Hannover. Pensem num lugar pequeno, com quase zero opções de entretenimento!

Minha “host family” e os meus vizinhos foram super legais comigo, mas sabe quando a recepção não é tão calorosa quanto você espera? Claro que a gente não tem que esperar nada e nem criar expectativas, mas eu ficava muito sozinha e simplesmente não tinha maturidade pra isso. Na época, era verão aqui no Brasil e eu via fotos de todo mundo curtindo, enquanto eu estava passando frio e me sentindo só. Decidi, então, voltar mais cedo para casa e essa foi a melhor coisa que fiz.

Essa, infelizmente, foi a minha impressão da Alemanha. Quero mostrar para vocês que não é vergonha falar que não gostou de viajar ou de morar fora. Minha irmã costuma dizer “nem sempre estar na Europa é sinonimo de estar feliz”. Às vezes, também passamos por maus bocados no exterior!

Não me levem a mal: a Alemanha é LINDA, desenvolvida e, de quebra, cheia de história. As cervejas são sensacionais, assim como as salsichas haha! Eu amei ter conhecido o país, mas não é um lugar em que escolheria viver. Foi só uma questão de receptividade mesmo!

Nuremberg: uma das minhas cidades preferidas.

Alguém mais já teve alguma má experiência no exterior?

Auf Wiedersehen! 

comentários

Confira também

Ano novo, vida nova: Mudando para Londres

+ CONFIRA

Por que resolvi passar uma temporada em Quebec, Canadá.

+ CONFIRA

Meu primeiro intercâmbio: Nova Zelândia

+ CONFIRA

SIGA @sislifestyletrips