Meu guia de Capri

LiviaLivia

Depois de algum tempo sumida do blog, estou de volta! Agora que estou de férias terei mais tempo para escrever para vocês, yay! Por falar em férias, comecei as minhas da melhor maneira possível: em Capri. Esta ilha, que faz parte da Itália, é um dos destinos mais procurados por turistas durante o verão europeu. Por isso, é também um dos lugares mais caros de todo o continente. Capri estava na minha bucket list já há algum tempo, mas só agora consegui convencer minha mãe a me acompanhar (ela não curte muito esses programas de praia e sol de rachar).

Quando comecei a pesquisar sobre a ilha, antes mesmo da viagem, fiquei um pouco confusa com as informações que li na internet. Portanto, resolvi escrever este post para ajudar quem pretende visitar Capri futuramente.

 

COMO CHEGAR?

A melhor opção é pegar um voo até Nápoles e, de lá, pegar um ferry até a ilha de Capri. Há dois portos na cidade, mas é do Molo Beverello que saem os barcos mais rápidos. Nós compramos os tíquetes com a empresa SNAV, que fez o trajeto Nápoles-Capri em 40 minutos. Dá para comprar os bilhetes na hora, mas recomendo conferir os horários antes. Se estiver viajando durante a alta temporada, é melhor comprar com antecedência.

 

ONDE FICAR?

1) Capri: é o centro da ilha, onde tudo acontece. Por ser o melhor lugar para se hospedar, é também o mais caro. Se você gosta de agito e não precisa economizar, recomendo ficar em algum dos hotéis da região, como o Quisisana.

2) Anacapri: é a parte alta da ilha, a 275 metros sobre o nível do mar. Os hotéis são mais afastados, mas são bem mais baratos do que em Capri. Se você gosta de tranquilidade e está com o orçamento limitado, fique em Anacapri.

3) Marina Grande: é onde está o porto de Capri, de onde chegam todos os ferries. Acho uma boa se hospedar nessa região, sobretudo se estiver com malas grandes ou se for fazer day trips até outras cidades da Costa Amalfitana. Para chegar até o centro de Capri, basta pegar o teleférico que fica em frente ao porto. E, para chegar em Anacapri, basta pegar um ônibus.

4) Marina Piccola: é a região menos movimentada da ilha, onde estão os Faraglioni, aquelas 3 rochas que são o cartão postal de Capri. Eu, particularmente, não recomendo se hospedar nessa região, porque você vai precisar de transporte público para absolutamente tudo!

 

O QUE FAZER?

 Giro dell’isola: a primeira coisa que você deve fazer ao chegar em Capri é fazer o passeio de barco ao redor da ilha. Há tours organizados que custam menos 20 euros. Na região da Marina Grande, é possível reservar o tour com alguma das empresas que estão por lá. É a melhor maneira de conhecer as principais atrações da ilha – a Grotta Azzura (Gruta Azul) e os Faraglioni. Se dinheiro não for problema, recomendo reservar um barco privado, como este aqui.

Faraglioni

Gruta Azul

Piazzetta: é a famosa praça do centro de Capri, onde o movimento está concentrado. Também conhecida como Piazza Umberto I, é rodeada de bons restaurantes, bares, lojas e cafés. 

Via Tragara: é uma das estradinhas mais charmosas da ilha. Para chegar até lá, basta caminhar até o fim da Via Camarelle, a rua de compras mais famosa de Capri, repleta de grifes de luxo. Do final da Via Tragara, é possível ter uma vista panorâmica dos Faraglioni e da Marina Piccola. Se quiser fazer uma caminhada mais longa, vale a pena fazer a trilha de Pizzolungo, que leva até o Arco Naturale. Tem que ter disposição para encarar, hein?! Mais informações aqui.

Via Camarelle

Via Tragara

Giardini di Augusto: os Jardins de Augusto, em português, são constituídos por lindos terraços floridos com vistas para os Faraglioni e para a baía de Marina Piccola. De lá, também é possível ter uma visão espetacular da Via Krupp, uma das ruas mais bonitas de todo o mundo, cheia de curvas. Até pouco tempo, era possível caminhar por ela, mas agora a única opção é apreciá-la do alto, do Jardins de Augusto. Aproveite para tirar muitas fotos e, também, para tomar uma refrescante granita de limão que é vendida em uma barraquinha ali perto.

Anacapri: o centro histórico mais interessante é, certamente, o de Anacapri. Dentre os destaques da segunda maior cidade da ilha está a Villa San Michele, uma antiga vila romana que virou residência do médico e autor sueco Axel Munthe. Hoje em dia, está aberta para visitação e, de lá, é possível ter uma vista linda de Capri. Também vale muito a pena visitar o Monte Solaro, que é o ponto mais alto da ilha, a 589 metros acima do nível do mar. A maneira mais fácil de chegar até lá é pegando o teleférico que sai da Piazza Vittoria e que te leva ao topo da montanha em aproximadamente 12 minutos. Lá em cima, há algumas atrações que merecem ser visitadas, como a Igreja de Santa Maria de Cetrella e o Castelo Barbarossa.

Vista da Villa San Michele

Faro di Punta Carena: na minha opinião, é o melhor lugar para se curtir o pôr do sol e, também, para tomar banho de mar. Recomendo alugar cadeiras e guarda-sol no Lido del Faro, um beach club e restaurante super bacana. Se não quiser gastar dinheiro, também é possível desfrutar de uma pequena área liberada para o público. Não há cadeiras de praia, mas se você quiser apenas dar um mergulho no mar, vale a pena!

Marina Piccola: quem já foi a Capri sabe que as praias da ilha não são das melhores. Em vez de areia, há pedrinhas que machucam o pé. No entanto, se você faz questão de curtir uma praia, recomendo ir até a Marina Piccola, que oferece uma lista vista para os Faraglioni. Só não invente de almoçar no restaurante Ciro, que é caro e ruim! Há um ônibus que parte do centro de Capri com direção a essa praia.

Marina Grande: como mencionei no início do post, trata-se da região do porto de Capri. Por lá também está a praia mais popular da ilha, que não deixa de ser uma boa opção para quem pegar sol e dar um mergulho.

 

ONDE COMER?

Il Riccio: é um beach club que pertence ao hotel Capri Palace, em Anacapri. O restaurante conta com 1 estrela Michelin, super merecida. Foi a melhor comida que experimentei nessa viagem! O lugar conta com uma sala de sobremesas de deixar qualquer um babando! O Il Riccio fica pertinho da Gruta Azul e parece que, por volta das 17h-18h, quando os barcos de excursão vão embora, é possível nadar dentro dela.

La Fontelina: é outro beach club bem badalado. Eu não tive a oportunidade de ir, mas parece que o lugar é incrível! Aproveite para passar a manhã na praia e depois subir até o restaurante para almoçar.

Villa Verde: é um tradicional restaurante italiano com comida incrível! Há diversos pratos com trufas, mas o destaque mesmo são as pizzas. A margherita de lá foi simplesmente a melhor que já comi na vida! Eu e minha mãe também pedimos uma salada caprese de comer rezando, com tomates fresquinhos plantados ali mesmo. Ah, o restaurante é cheio de fotos de celebridades que já o visitaram.

Da Paolino Lemon Trees: é um famoso restaurante que fica embaixo de árvores de limões sicilianos. Jantamos lá em nossa primeira noite em Capri e adoramos! A comida é maravilhosa, assim como o atendimento e, é claro, o ambiente. Não deixe de experimentar a massa ou o ravióli al limone. O Da Paolino conta com um salão de sobremesas com diversas opções incríveis, como a tradicional torta caprese, feita de chocolate e amêndoas. 

Aurora: é um dos restaurantes mais animados de Capri, legal para tomar uns drinks. Dizem que a pizza de lá é incrível também! Eu não tive tempo de conhecer o local, mas vou deixar a dica mesmo assim!

Lo Zodiaco: é um restaurante que fica na Marina Grande, no qual almoçamos no nosso último dia em Capri. O menu é variado, com opções que vão de pizza a frutos do mar.

Lido del Faro: como eu mencionei acima, é um beach club e restaurante situado sob o farol da ilha (Faro di Punta Carena). Situado a 10 minutos do centro histórico de Anacapri, à beira mar, é o lugar perfeito para curtir o sol e mergulhar. Minha mãe e eu curtimos o beach club e depois subimos para almoçar no restaurante. Adoramos o programa!

Gelateria Buonocore: prepare-se para experimentar o melhor gelato da sua vida! Eu achava que era exagero das pessoas, mas quando finalmente comprei meu gelato de pistache (com casquinha feita na hora, vale frisar!) vi que tudo o que diziam sobre a Buonocore era verdade! Sempre há fila em frente ao local, mas vale muito a pena esperar!

Espero que tenham gostado das minhas dicas! Se tiverem algo a acrescentar, ou alguma pergunta a respeito de Capri, fiquem à vontade para escrever aqui, ok?

comentários

Confira também

SIGA @sislifestyletrips