Antuérpia: Conhecendo a segunda maior cidade da Bélgica

LiviaLivia

Nem todo mundo sabe, mas a Bélgica é dividida em duas partes: Flandres, onde se fala a língua holandesa, e Valonia, a região francófona. Conhecer a região flamenga estava nos meus planos há algum tempo e, finalmente, consegui incluí-la em meu roteiro de viagem. Aproveitei minha ida a Amsterdam, em abril desse ano, para visitar a Antuérpia, a maior e principal cidade da região de Flandres, que ganhou fama por ser o centro mundial de lapidação de diamantes.

Peguei um trem da estação central de Amsterdam com destino à Antuérpia. A viagem foi super tranquila e durou pouco mais de 1 hora. Os trens da Thalys são excelentes e oferecem wifi, o que faz com que o tempo passe mais rápido. Comprei a passagem com antecedência no site oficial, porque não gosto de deixar para ultima hora.

A própria estação de trem da Antuérpia (Antwerpen-Centraal) já é uma grande atração na cidade. O grande edifício em estilo neobarroco conta com 4 andares e já foi eleito como uma das estações de trem mais bonitas do mundo.

Fiquei hospedada no hotel Park Inn by Radisson, praticamente ao lado da estação de trem e do zoológico. Achei o hotel muito bom e confortável. A diária inclui um café da manhã maravilhoso! O único ponto negativo foi a distância do centro da cidade, mas não se pode ter tudo. O Park Inn está situado no Diamantkwartier, o distrito dos diamantes, repleto de joalherias.

É possível visitar a Antuérpia em 1 dia, pois a cidade é relativamente pequena. Ademais, praticamente todos os pontos turísticos estão concentrados no centrinho. Comecei meu passeio pela principal rua comercial da cidade, a Meir, que liga a Estação Central à parte histórica da Antuérpia. Por lá, é possível encontrar lojas como Uniqlo, Zara, Urban Outfitters, H&M e outras.

Uma das principais atrações da Antuérpia é a Rubenshuis, um museu dedicado a Peter Paul Rubens, um dos maiores artistas barrocos do século XVII. Trata-se da casa onde ele morou e pintou grande parte de suas obras. A construção  foi inspirada no Palácio de Gênova, na Itália, e é lindíssima! Conta com dois andares repletos de obras do pintor flamengo, então se você gosta de arte vale a pena conhecer!

E por falar em Peter Paul Rubens, ele está enterrado na Sint-Jacobskerk, uma catedral em estilo gótico que fica a poucos metros da antiga casa do artista.

Nas redondezas também está o teatro mais famoso da cidade, o Bourla Schouwburg.

A parte mais bonita da cidade é, sem dúvidas, a Grote Markt. É na praça, cartão postal da cidade, que está o prédio de Prefeitura e o Brabomonument, que se trata de uma estátua de Brabo, uma figura mítica da Antuérpia.

É também na Grote Markt que estão as Guildenhuis, um conjunto de casas tipicas da região de Flandres. Não sei vocês, mas eu acho um charme só!

Outra praça importante é a Groenplaats, onde está a estátua de Peter Paul Rubens. No entanto, esta estava sendo restaurada quando visitei o local. A praça está rodeada por lojas, cafés, restaurantes e um hotel Hilton.

A uma curta distância da praça está a Catedral de Nossa Senhora, ou Onze-Lieve-Vrouwekathedraal (em holandês), dedicada à Virgem Maria. Sua torre conta com 123 metros de altura e faz com que a catedral gótica seja a mais alta de toda a Bélgica.

Nas redondezas está o MoMu, o Museu de Moda da Antuérpia, fundado em 2002. No entanto, está fechado para renovação até 2020.

Falando em museu, vale a pena visitar o Museum aan de Stroom (MAS), o mais novo da cidade. Inaugurado em 2011, o notável prédio de arenito vermelho conta com 10 andares e exposições sobre o lugar de Antuérpia no mundo. Se não quiser passar muito tempo no museu, suba até o último andar para visitar a plataforma de observação e apreciar a vista da cidade.

O museu fica na região das docas, que é repleta de bares e restaurantes bem legais. Adorei!

Às margens do rio Escalda está o Castelo Het Steen, uma fortaleza medieval do século XIII. Trata-se da construção mais antiga da Antuérpia e costumava ser o centro comercial da cidade. Atualmente, está passando por renovações.

Falando em construções antigas, não deixe de passar em frente à casa mais velha da Antuérpia, erguida em 1480. Em estilo medieval, a casa é toda de madeira e sobreviveu a 6 guerras. Dá até para alugar a casa no Airbnb, acreditam?

Para finalizar o post, quero dar 2 dicas gastronômicas imperdíveis. A primeira delas é a Frites Atelieruma franquia holandesa de batatas fritas gourmet, que pertence ao chef holandês Sergio Herman. 

A outra dica é a casa de waffles mais antiga da Antuérpia: a Wafelhuis Van Hecke. Pensem num waffle crocante e delicioso:

Tem como ir à Bélgica e não comer batata frita e waffle?

comentários

Confira também

SIGA @sislifestyletrips